Saúde

Pancreatite crônica com diarréia grave


A pancreatite crônica pode causar dor abdominal intensa, diabetes e problemas digestivos.

BananaStock / BananaStock / Getty Images

Seu pâncreas, um órgão em forma de lágrima localizado diretamente atrás do estômago, desempenha duas funções principais. Ao secretar insulina, glucagon e outros hormônios diretamente na corrente sanguínea - o que os cientistas chamam de função endócrina -, o pâncreas regula o metabolismo da glicose e de outras moléculas de combustível. Seu pâncreas também possui uma função "exócrina", que é executada liberando enzimas digestivas no intestino. Essas enzimas são necessárias para quebrar os alimentos que você come. A falha da função exócrina pancreática pode levar à má absorção de nutrientes e diarréia.

Aguda versus Crônica

A inflamação do pâncreas é chamada de pancreatite. Vários fatores podem desencadear a inflamação pancreática, incluindo doenças da vesícula biliar, infecções, medicamentos, toxinas e doenças autoimunes, como lúpus ou doença inflamatória intestinal. Duas formas distintas de pancreatite - aguda e crônica - foram descritas. Enquanto os dois se sobrepõem até certo ponto, seus cursos de longo prazo são bem diferentes. A pancreatite aguda geralmente é abrupta no início e, embora possa ser fatal nos casos mais graves, a maioria dos pacientes pode esperar uma recuperação completa da função pancreática. Em contraste, a pancreatite crônica é marcada por dano pancreático progressivo e irreversível, com eventual perda da função exócrina e endócrina. Como resultado, pessoas com pancreatite crônica podem ter que lidar com diabetes e problemas digestivos.

Perda de enzimas

A mistura de enzimas digestivas produzidas pelo pâncreas é bastante diversa. Projetadas para quebrar gorduras, carboidratos e proteínas, essas enzimas são fabricadas de forma inativa e somente são totalmente ativadas após a chegada ao intestino. Se eles forem ativados enquanto ainda estão dentro do pâncreas, podem danificar o tecido pancreático. Essa é, de fato, uma causa presumida de pancreatite aguda: suas enzimas digestivas são ativadas antes de atingirem seu trato digestivo. A pancreatite crônica causa destruição lenta das células pancreáticas que produzem enzimas digestivas. Além disso, os ductos que levam do pâncreas ao intestino são danificados e cicatrizados, de modo que as enzimas produzidas podem não chegar ao local necessário. Consequentemente, os alimentos que chegam ao intestino não são digeridos e absorvidos com eficiência. Em muitas pessoas que sofrem de pancreatite crônica, essa cadeia de eventos resulta em diarréia grave.

A gordura é a questão principal

Embora todos os tipos de macronutrientes em sua dieta - carboidratos, proteínas e gorduras - sejam mal digeridos se você tiver pancreatite crônica, sua diarréia provavelmente ocorre devido à gordura não digerida no trato gastrointestinal. Muita gordura nas fezes - uma condição chamada esteatorréia - pode causar diarréia, cólicas, gases e perda de peso. Além disso, a baixa absorção de gordura pode levar a deficiências das vitaminas A, D, E e K, pois esses nutrientes são solúveis em gordura e serão realizados nas fezes. Se você tem pancreatite crônica e sofre de diarréia, seu médico pode solicitar um teste para verificar a quantidade de gordura nas fezes.

Substituição enzimática

A perda de enzimas digestivas é uma das principais causas de diminuição da qualidade de vida de pessoas com pancreatite crônica. Uma dieta com pouca gordura pode conter parte da diarréia associada a esta doença. O seu médico também pode recomendar a reposição de enzimas digestivas, o que pode ser feito tomando cápsulas de enzimas pancreáticas antes das refeições. O tratamento com medicamentos bloqueadores de ácido, como omeprazol (Prilosec) ou lansoprazol (Prevacid) também pode ser útil. Esses medicamentos reduzem a acidez nas primeiras polegadas do intestino delgado e permitem que as enzimas pancreáticas funcionem com mais eficiência. O seu médico recomendará o melhor curso de tratamento para você.