Ginástica

Yoga egípcio e a filosofia da iluminação


Hieróglifos egípcios antigos refletem uma história do yoga.

Imagens Comstock / Stockbyte / Getty Images

O yoga egípcio é um estilo de yoga que está rapidamente se tornando mais reconhecido no mundo ocidental. Embora se pense que o yoga se originou mais comumente na Índia, há evidências que apontam para seu uso histórico também no Egito antigo. Segundo Muata Ashby, especialista em yoga egípcia - ou "kemética" -, isso se reflete nos hieróglifos e nas obras de arte que enfeitam os templos e túmulos da região.

Posturas Comuns

Esses hieróglifos ilustram poses semelhantes às encontradas no yoga indiano mais familiar praticado no Ocidente. Poses como Cobra, Arado, Ponte e Lótus são retratadas. No entanto, o Instituto Internacional de Yoga afirma que posturas originais também foram usadas. Posturas egípcias focadas principalmente no alongamento da coluna vertebral para corrigir desequilíbrios no corpo, bem como posturas projetadas para cultivar o foco. Meditação e canto também eram praticados no yoga egípcio para desenvolver uma concentração mais profunda.

Filosofia de Duas Terras

Desenvolver uma concentração profunda está no centro da filosofia do yoga egípcio. Segundo a Kemetic Yoga Association, essa filosofia é chamada "Smai Tawi", ou união de duas terras. As duas terras se referem a dois estados de ser: sua consciência individual e a consciência universal. A palavra yoga em si é derivada da língua sânscrita da Índia e significa "jugo" ou "atar". Ambos os termos ilustram o que está no cerne de cada prática - uma união do espírito individual com o divino universal.

Benefícios físicos e iluminação espiritual

De acordo com o Centro Nacional de Medicina Alternativa e Complementar, o yoga pode abordar questões específicas de saúde, como dores nas costas, ansiedade, artrite, artrite e dor de garganta. Este ramo físico do yoga é chamado Hatha. Embora seja um termo sânscrito, a influência do Egito antigo é intrínseca ao yoga, onde a deusa Hathor usava o sol e a lua em sua coroa. Por exemplo, a postura Lifting the Sky é uma pose fundamental no yoga egípcio, de acordo com um artigo intitulado: "Yoga egípcio: uma prática milenar para o homem moderno". A postura, que literalmente parece que o praticante está segurando o céu, simboliza a união do sol e da lua que ilustra a dualidade da humanidade e a unificação dos dois extremos do ser interior de uma pessoa.

Exemplo de pose de ioga egípcia

Outras poses no yoga egípcio têm benefícios físicos, como a pose do castiçal, que fortalece os ombros e trata o reumatismo nas costas e nos ombros. Para entrar no castiçal, fique com os pés afastados na altura dos quadris. Inspire e plante os pés no chão enquanto estende os braços para cima e para cima em direção ao céu. Expire e role as omoplatas pelas costas para afastá-las das orelhas. Faça três respirações profundas; então abaixe lentamente os braços para os lados.